domingo, 22 de janeiro de 2012

Terra das fadas



 


 

Insuportáveis
são os erros de nossos pais
desmistificados
nus
em humanização

 

o referencial incólume
devastado

 

sinto carência afetiva
estou pequeno
diminuo
mais
e mais
até ficar minúsculo
em um
grande
salão cinza

 
fico solitário
disperso
frio corrosivo no peito
(não me caem as lágrimas congeladas nos olhos)
inanimado
por horas a fio

 
vejo um homem de fraque branco
a fazer malabarismos
com uma luz vermelha
(percebo seus sapatos sujos de barro)
a luz é pulsante
seu rosto conhecido
sou eu
devolvo a luz ao peito
bato a casaca
(o pó que sai brilha)
respiro fundo
e dou meu primeiro passo
para fora de Faerie

 
(Eduardo Barbossa do livro "Breve tratado sobre afrenia quotidiana")

 

6 comentários:

  1. Fico grata pela visita e pelo comentário.
    Seu blog pe muito bonito, parabens.
    Um abraço!
    :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço... E tenha uma ótima semana.


      Eduardo

      Excluir
  2. Eduardo!

    Os poemas são meu fraco na literatura. Adoro ler poemas, me emocionam. Cara, os teus são muito bons, seu livro devem ser o máximo. Pelos que eu li aqui fiquei com os olhos marejados. Um poeta toca fundo no coração de quem ler .
    Só posso dizer parabéns e ter a honra de seguir um grande poeta!

    Obrigada pela visita. Meu fraco é escrever contos e novelas, mas poemas são minha paixão!

    Um linda noite!

    Beijos,

    Elaine Crespo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelos elogios.
      Fico realmente feliz que você tenha gostado.

      Quanto aos livros...
      Tenho 6 prontos, porém nenhum publicado (minhas condições financeiras não me permitem tal luxo), então me contento em publicar fragmentos deles no blog.

      Um grande abraço.

      Eduardo

      Excluir
  3. Ilustre Poeta Eduaro,
    Adorei este belo e profundo poema, que nos leva a refletir sobre a nossa vida.Meus sincero parabéns
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Macau, muito obrigado.
      Fico honrado com sua visita.

      Um grande abraço.

      Eduardo

      Excluir